Fenômeno de 15 anos ameaça trono de Bob Burnquist na MegaRampa

Após a inclusão dos esportes radicais no programa de atividades de parques nos EUA, nova geração domina cenário mundial. É o caso de Mitchie Brusco

Por Ana Carolina Fontes Rio de Janeiro (Globo)

Quem olha Mitchie Brusco pela primeira vez não imagina do que aquele menino de biotipo franzino é capaz. Mas basta vê-lo em cima das quatro rodinhas para perceber que se trata de um fenômeno. No ano passado, em São Paulo, o jovem de 15 anos foi a maior revelação da MegaRampa, ao completar três vezes uma das manobras mais difíceis da modalidade, o 900º (duas voltas e meia no ar). O desempenho rendeu ao americano o segundo lugar no pódio, atrás apenas do mentor Bob Burnquist. Natural da cidade de Kirkland, em Washington, ele é uma das principais ameaças à hegemonia do brasileiro, tricampeão do evento mais radical do skate mundial, que será disputado no Sambódromo do Rio de Janeiro, neste fim de semana. A pista de 112m de comprimento e 27m de altura vai reunir ainda grandes nomes do BMX.

Mitchie Brusco skate MegaRampa (Foto: Ana Carolina Fontes)Com o Cristo Redentor ao fundo, Mitchie visita a Lagoa antes do treino (Foto: Ana Carolina Fontes)

– No ano passado, eu não pensava em fazer os 900º, foi aleatório, não estava nem praticando. Foi um truque doido que saiu da cartola. Não sei se vou conseguir repetir, mas é uma esperança. O 1.080º é bem difícil, mas, quem sabe… Hoje em dia, muitas crianças e adolescentes estão fazendo manobras incríveis e inimagináveis, é uma motivação para todos os skatistas. São jovens normais, que simplesmente gostam de andar de skate e experimentar coisas novas. As pessoas estão olhando o esporte de uma forma diferente, sem preconceito, isso é muito legal.

Mitchie Brusco e a mãe Jennifer skate MegaRampa (Foto: Ana Carolina Fontes)
Mitchie Brusco e a mãe, Jennifer, na Lagoa
Rodrigo de Freitas (Foto: Ana Carolina Fontes)

Apaixonado por skate, ele optou por estudar em uma escola online para ter a liberdade de competir o ano inteiro. O sucesso e a habilidade nas quatro rodinhas têm levado Brusco e sua mãe, Jennifer, para inúmeras viagens mundo afora. Atenta a todos os passos do pupilo, a mãe-coruja conta que Mitchie tem uma vida normal, assim como todo o adolescente da sua idade. Gosta de sair com os amigos, jogar golfe, frisbee e ir ao cinema. Dos cinco filhos, ele é o único skatista. Começou com apenas três anos numa pequena pista de um shopping e não parou mais.

– Fico muito feliz ao vê-lo andar de skate, ele ama o esporte mais que tudo. Não tenho medo de ver meu filho no alto de uma rampa, todos os movimentos são estrategicamente planejados, ele sabe exatamente onde vai aterrissar. Os skatistas mais velhos são como irmãos para ele, cuidam dele nas competições e dão conselhos – revelou Jennifer.

Além de Mitchie, Noland Munroe, Adam Taylor, Elliot Sloan, Jagger Eaton, Trey Wood, Alex Sorgente e o australiano Jake Brown são os estrangeiros confirmados. Os brasileiros que marcam presença no evento são Bob Burnquist, Rony Gomes, Marcelo Kosake, Lincoln Ueda, Edgard Pereira, Martín André e Ítalo Penarrubia. A MegaRampa 2012 terá transmissão do SporTV, no sábado, e da TV Globo, no domingo, dentro do Esporte Espetacular.

Parques de treinamento são celeiros de atletas

Mitchie Brusco e crianças Lagoa skate Rio de Janeiro  (Foto: Ana Carolina Fontes)
No passeio pelo cartão-postal carioca, Mitchie atraiu
a atenção de crianças (Foto: Ana Carolina Fontes)

Assim como Mitchie, vice-campeão do X-Games, outros adolescentes estão dominando o cenário mundial. Os novos talentos começaram a despontar depois que alguns parques, conhecidos como Woodwards, passaram a incluir os esportes radicais em seu programa de atividades.

O primeiro camping foi aberto no verão de 1970 apenas para a ginástica artística, com toda a infra-estrutura necessária para a formação de atletas. Em 2008, os donos dos parques viram em modalidades como o skate e o BMX uma opção para atrair os jovens. Foram construídas rampas de todos os tipos (de minimegarrampa a pistas de terra), além de corrimãos e obstáculos que simulam o ambiente urbano. Não demorou para pipocarem promessas. Atualmente, existem quatro Woodwards, dois na Califórnia, um no Colorado e outro na China.

Quando esses meninos olham os mais velhos realizarem manobras complexas, pensam: “Por que não tentar?”. Eles não têm medo de arriscar um movimento. E os parques ajudaram a desenvolver ainda mais o potencial dos jovens”

Jennifer Brusco

Outra revelação é o americano Tom Schaar, de apenas 12 anos, que entrou para a história ao completar a manobra dos 1.080º (três giros no ar), em uma pista na Califórnia, em abril deste ano. O feito se repetiu nos X-Games da Ásia, no fim do mesmo mês. Com a manobra, ele conquistou a medalha de ouro, deixando Bob em segundo, com Rony Gomes completando o pódio. Para Jennifer, o surgimento dos parques está ligado à descoberta dos talentos.

– Quando os meninos dessa geração olham os mais velhos realizando manobras mais complexas, eles pensam: “Por que não tentar?”. Eles não têm medo de arriscar um movimento diferente. E os parques ajudaram a desenvolver ainda mais o potencial dos jovens. Eles têm toda a estrutura para experimentarem os movimentos com segurança, já que existem colchões e espumas para diminuir o impacto de uma possível queda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s